Dia Internacional da Cerveja: Yay!

alt

Origem do Dia Internacional da Cerveja

De acordo com nosso oráculo Google e seu “primo pobre” Wikipedia, na primeira sexta-feira de agosto comemora-se o Dia Internacional da Cerveja,que foi criado por um grupo de quatro amigos beberrões em Santa Cruz, no estado da Califórnia, nos Estados Unidos da América, em 2007.

Nesse mesmo ano a comemoração não passou de mais que uma festinha entre amigos e amigos dos amigos, dentro de um bar.

Sentindo que estavam pagando um mico minimalista, resolveram divulgar a data aos quatro ventos e tornar a coisa grandiosa, sonhando com que, algum dia, essa data se equipare a um St. Patrick’s Day.

Alucinações à parte, essa data, de acordo com os organizadores, está estabelecida com três propósitos:

  1. Estar com amigos para saborear cerveja;
  2. Celebrar aqueles que fabricam e os que servem a cerveja;
  3. Promover a união mundial através da celebração de todas as nações e culturas nesse dia memorável.

Ainda de acordo com os organizadores, atualmente a celebração se estende por mais de 200 cidades espalhadas pelo mundo, em mais de 50 países.

E nós? Temos o que celebrar?

Claro que sim!

O boom cervejeiro que o Brasil vive hoje, “semelhante” ao que ocorreu nos Estados Unidos na década de 80 do século passado (já?!), merece toda consideração, respeito, atenção e – por que não? – celebração.

O consumo de cervejas artesanais vem aumentando exponencialmente, assim como o número de microcervejarias, cursos de formação, produção, escolas, mídia especializada, produção de matéria-prima, bares, empórios, festivais, etc.

É comum lermos em fóruns especializados ou escutarmos em rodas de conversa o termo “Revolução Cervejeira” no Brasil.

Não vamos discutir, aqui, o mérito da questão (um tanto polêmica, atualmente), mas o fato é que, sim, vivemos um boom no crescimento dessa fatia (ainda bem pequena e com enormes possibilidades) em nosso país.

Dia internacional da cerveja – No Brasil a batalha será longa

Como sempre digo, só estamos começando essa longa jornada, e precisamos conscientizarmo-nos de uma série de coisas, inclusive dessa grande briga de tubarões que envolve legislação e regulação de mercado.

Fico feliz em ver o Presidente da Diretoria recém-eleita da ABRACERVA, Carlo Lapolli, dar a seguinte declaração em sua página pessoal do Facebook:

“Nossa briga não é contra ninguém. Lutamos por um mercado justo, ético e leal. Seja de qualquer cervejaria. E nosso maior foco é a busca de uma tributação mais justa para as cervejarias artesanais, e o desenvolvimento técnico para cada dia oferecermos produtos com melhor qualidade. A palavra final cabe ao consumidor “), dentre outros aspectos.


Fonte: Marta Ibanez – O CANECO
Loja
×